Nota de Repúdio e Indignação sobre denúncias de trabalho escravo em vinícolas localizadas na cidade de Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul

Nota de Repúdio e Indignação sobre denúncias de trabalho escravo em vinícolas localizadas na cidade de Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul

A SINDPRODEM, Sindicato dos Trabalhadores Promotores (as), Repositores (as) e Demonstradoras de Merchandising e Vendas do Estado de São Paulo vem a público manifestar seu repúdio e indignação diante dos fatos amplamente divulgados pela imprensa, referentes ao resgate de 200 trabalhadores, encontrados em vinícolas  da Salton, Aurora e Garibaldi na cidade de Bento Gonçalves (RS) em situação análoga à escravidão.

O SINDPRODEM pede, ainda, que, os graves acontecimentos de desrespeito às leis trabalhistas e ofensa grave aos direitos humanos sejam devidamente apurados, e que as empresas declaradas culpadas sejam devidamente responsabilizadas, com todo o rigor da lei.

O Brasil vem registrando uma realidade triste e inaceitável no que se refere à violação de direitos dos trabalhadores.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, no ano de 2022, a inspeção resgatou 2.575 trabalhadores em condições análogas às de trabalho escravo, expondo uma chaga social a ser combatida com toda a veemência.

Assim, o SINDPRODEM se soma nos protestos de outras organizações congêneres que se unem nas denúncias e exigem medidas preventivas contra qualquer forma análoga à trabalho escravo, num país que a todos envergonha por ser um dos campeões mundiais de pobreza e injustiça econômica e social. Além de punição aos culpados por tais atos inomináveis.

 

Sindicato dos Trabalhadores Promotores (as), Repositores (as) e Demonstradoras de Merchandising e Vendas do Estado de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três × quatro =