Acidentes e mortes: A dura rotina de quem trabalha no Supermercados do Grupo Mateus

Muitos funcionários que trabalham no Supermercado Mateus no Maranhão sofrem de diversos problemas de saúde provocados pelo trabalho, exaustivo e pesado. Muitos veem os seus horários serem alterados de um dia para o outro. Chegam a ser obrigados a almoçar na rua, no carro, no banheiro. Isto a troco de salários incompatíveis com o mercado, assédio e falta de segurança para trabalhar, pois se trata de uma rede onde acidentes e mortes são constantes.

Recentemente uma notícia que veio a público é de uma promotora de vendas caiu de escada e sofreu ferimentos graves.
Chamada de escada guarda-corpo, usada frequentemente como meio de acesso “seguro” dispensando o uso de cinto de segurança e ponto de ancoragem.
A vítima bateu a cabeça e foi atendida pelos socorristas.
Não temos maiores informações sobre o estado da vítima.

 

Neste mesmo mercado um jovem negro foi torturado, asfixiado e morto .

Imagens do circuito interno do supermercado Mateus da Cohab,revelam cenas aterrorizantes de tortura cometida contra Darlon Oliveira dos Santos, de 23 anos. O caso ocorreu em 2019, mas somente na quarta-feira (22/06) veio à tona.

Era quase meia noite do dia 12 de junho daquele ano, quando um jovem negro invadiu a loja do grupo Mateus, em São Luís. Logo o segurança e demais funcionários foram acionados para contê-lo, pois a suspeita era que se tratava de um assaltante, mas o rapaz estava em surto psicótico.

Ao ser imobilizado, Darlon foi arrastado até um local que dá acesso às dependências internas do estabelecimento. Nesse momento, é possível observar que a vítima tenta se desprender, porém não consegue.

O relógio marcava 00:00:12, quando o vigilante da Clasi Segurança, que presta serviço para a empresa comercial, e outros colaboradores do supermercado, iniciaram uma série agressões.

As imagens mostram que um deles coloca o joelho no pescoço da vítima, que já não consegue respirar. A cena é presenciada por diversos funcionários.

Após a asfixia, os suspeitos chegam a amarrar os pés do rapaz, que não apresentava mais sinais de reação.

Cerca de 7 minutos depois, os funcionários voltam para verificar o estado da vítima, alguns tiram fotos e analisam se ainda está vivo. No vídeo, chefes de alguns setores aparecem se deslocando até o local para verificar o que tinha ocorrido, entretanto não tomam qualquer providência.

O corpo de Darlon ficou no chão por quase 20 minutos até a chegada de policiais militares. Uma equipe do Samu também foi chamada para atender a ocorrência e constatou que o jovem já estava morto.

Sob sigilo, o inquérito policial está aberto há 3 anos e até o momento não houve indiciamento de qualquer pessoa sobre a morte.

A rede de supermercado Mateus pertence ao empresário Ilson Mateus e tem atuação na região Norte e Nordeste nos segmentos de varejo e atacarejo. No ano de 2020, a companhia realizou abertura de capital na bolsa de valores e atualmente possui diversos acionistas.

Essa não é a primeira vez que crimes de agressão e tortura ocorrem dentro das dependências das lojas do grupo. Em julho do ano passado uma mulher denunciou que foi agredida e torturada no Mix Mateus do Araçagi.

E em 02/10/2020 uma funcionária foi vítima no desabamento ocorrido no supermercado de atacarejo Mix Mateus. Na noite sexta-feira, prateleiras com produtos diversos caíram em cima de clientes e funcionários na unidade do bairro Vinhais em São Luís no Maranhão ferindo outras 3 pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois × três =